Resenha: O Vilarejo


O Vilarejo
Autor: Raphael Montes
Editora: Suma de Letras
96 páginas

Escrito pelo autor brasileiro Raphael Montes, o livro reúne sete contos de um terror sombrio e sádico. A história dos contos gira em torno de um vilarejo e seus habitantes, que passam momentos difíceis com o frio e a fome em tempos de guerra.


“O velho estava certo. O vilarejo vem sendo dizimado dia após dia. O luto sentou-se à mesa. Ninguém chora os mortos. Não podem desperdiçar energia lamentando a partida dos que não suportaram o frio e a fome.”- pg. 12



O autor nos revela, logo no prefácio, que os contos são originais de cadernos antigos escritos pela falecida senhora, Elfrida Pimminstoffer. Ele adquiriu os cadernos com um sócio de uma sebo e ficou extremamente interessado em seu conteúdo ao ponto de buscar uma forma de traduzi-los, pois estes estavam escritos em uma língua estrangeira.




“[...] a morte do galã encerra todas as questões problemáticas da trama. Deixa ainda mais espaço para o luto e o sofrimento da princesa. Trágico, mas poético.”- pg. 25

As histórias narradas nos contos são macabras, apresentam cenas fortes de extrema violência, com personagens psicopatas e perturbados. Os contos acabam se interligando, de certa forma, mesmo que haja passagens de tempo entre as histórias. O autor explica que, como os contos se relacionam, não é necessário uma leitura cronológica. Contudo, em minha opinião, acho que perderia a graça se eu lesse o último conto primeiro, por exemplo. Portanto, eu aconselho a ler o livro na ordem normal. O livro pode ser pequeno, mas prende o leitor do início ao fim. Outro conselho é: Jamais leia o posfácio antes de iniciar o livro (risos)- digo isso porque tem muita gente que gosta de ler o final de livros primeiro. Sério, o desfecho do livro é assustadoramente espetacular e quando terminei a última página me arrepiei.



“ [...] uma maldição recaiu sobre o vilarejo; vivem uma período de trevas, pontuado por desgraças familiares, com atos de barbárie e violência.”- pg 67

A diagramação do livro ficou maravilhosa, adorei a capa, a textura e gramatura das folhas, e claro, as lindas ilustrações do artista Marcelo Damm que dialogaram perfeitamente com a história.

“O pecado nos mata [...] Não importa quanto tempo seja preciso. O pecado nos mata.”- pg. 87


Outro ponto que adorei é que a medida que as cenas começam a ficar mais violentas, aparecem nas páginas desenhos de respingos de sangue que aumenta a sensação de horror e desespero da cena. E acho que é por aí mesmo, em minha opinião, um bom terror tem que causar indignação, aflição e sobretudo medo. E eu senti todas essas emoções lendo os contos de O Vilarejo. Pra quem curte o gênero, tá aí uma boa pegada pra esse mês de terror. Recomendo!



Eloise G.F

Um comentário

  1. Gosto de suspense!! E este é melhor ainda porque é escrito em contos, sete ao total. O livro está muito bem comentado, e o suspense é bom porque geralmente ele surpreende por mais que você saiba o que vai acontecer!!

    ResponderExcluir

Topo