[Especial] Romance de Época: Moda e Costumes [Parte II]


Para aqueles que amam um bom romance de época e possuem certos interesses sobre o modo de vida e costumes vivenciados pelas nossas heroínas, segue algumas curiosidades sobre a época. A primeira parte desse post pode ser acessada AQUI.

No início da Era Romântica, os vestidos possuíam uma forma tubular e eram enfeitados com babados. As roupas masculinas apresentavam calças justas de cintura alta e era comum o uso de cartola. Por volta de 1820,a moda retratava o homem de forma elegante e a mulher mais infantil, com aspecto mais ingênuo e delicado, com fitas, pompons, cachos e chapéus extremamente grandes e folgados. Nesse período era vantagem ser pequena, magra e com cintura estreita. O peito era suprimido ou encoberto por decote alto. Com essas roupas, as mulheres sugeriam frivolidade, que eram características femininas desejáveis.


Imagem 1:La Belle Assemblée, Março 1817(“Evening Home Dress inventado por Mrs Bell”).
Imagem 2 e 3: fonte- blog modahistorica.

No início da Era Vitoriana, o ideal de beleza feminino era seios de menina, cintura estreita, olhos grandes e escuros e boca minúscula como um botão de rosa, uma imitação da estrutura corporal da Rainha Vitória. Uma outra característica eram os ombros caídos- quanto mais caídos melhor.  As roupas e a moda se adaptavam em busca desse novo ideal, porém, ao mesmo tempo limitavam o movimento do corpo, como erguer o braço, e enfatizavam a impotência da mulher. Os sapatos eram sem saltos e quadrados, no modelo bailarina, combinando com o vestido, feito de tecido ou couro para o período diurno e de cetim para usar à noite. Nas ruas poderiam usar botas de tecido.

Rainha Vitória- fonte: blog modahistórica.

Sapatos- fonte: blog eravitoriana.

Sapatos- fonte: blog eravitoriana.

O cabelo era repartido ao meio, com pontas em cacho e puxado para trás em duas partes uniformes e pendentes. Um dos penteados mais populares era o “Apollo Knot”, onde dividia-se o cabelo em três partes, sendo um coque no alto da cabeça e cachos soltos em ambas laterais. Para enfeitar o penteado se usavam presilhas, flores ou o “Sphendone”, que era uma tiara usada na Grécia Clássica. Outro enfeite, muito utilizado principalmente  entre 1840 e 1850, foi o Headdress (Cocares ou Coroas de cabelo). A Rainha Vitória amava flores e popularizou essas coroas de florais, usando uma em seu casamento em 1840.

Penteado: fonte- blog modahistorica.

"Apollo Knot"

Rainha Vitória- Headdress.

Era um costume muito comum o uso de chapéus. Utilizava-se babados, flores e fitas para enfeitá-los, mudando-os com frequência em quase todas as temporadas, adicionando novos forros, fitas e flores. A ampla aba do chapéu protegia a face de uma mulher do sol e um forro cor-de-rosa, muitas vezes, era usado para adicionar um brilho reflexivo na tez da mulher. Posteriormente, em 1837 os chapéus se tornaram muito populares durante o dia e só permitia que o rosto fosse visto de frente, pois possuíam lados que pendiam e se fechavam sobre o rosto, o que impedia a visão lateral. Eram mais utilizados na rua, embora também pudesse ser utilizado em casa. O cabelo, apenas com penteados, era mais usado a noite.

Penteado: fonte- blog candicehern.

Chapéus: fonte- blog eravitoriana.

Chapéus: fonte- blog modahistorica.

Os homens, como citei acima, apresentavam roupas mais justas. As calças eram afinadas no tornozelo, de cor clara durante o dia e escura à noite. Conhecida como moda masculina dândi, com tecidos lisos, cores primárias, coletes curtos, casacos acolchoados nos ombros e no peito, visava uma silhueta que predominava ombros largos e cintura fina. Prezava-se pelo colarinho da camisa virado para cima com cravat ou grandes lenços. A dificuldade em mover o pescoço, devido a isso, dava um ar de arrogância. Os homens da classe média e alta também usavam espartilhos para marcar a cintura. O espartilho masculino era chamado de “cintas”, “cintos” ou “vestes”. Era muito comum o uso de cartolas, os cabelos eram curtos e despenteados, usavam costeletas e bigodes e o uso da bengala era indispensável dia e noite.

Vestimenta Masculina: fonte- blog modahistorica.

Agora vamos falar de algo bem gostoso: Chá das Cinco.

O famoso e tão comentado chá das cinco, afinal quando e como foi criado esse hábito entre os ingleses? Eu encontrei duas origens para esse fato. Alguns atribuem essa tradição vinda dos portugueses, através da princesa Catarina de Bragança que foi para Inglaterra ao se casar com o rei Carlos II. Em 1662, a princesa portuguesa chegou a Londres resfriada e pediu uma bebida quente, como não havia chá na corte inglesa, as damas de companhia de Catarina a ensinaram a preparar um chá que ela trouxera em sua bagagem. Também é atribuído a princesa portuguesa o fato de substituir os pratos e canecas de metal pelas peças de porcelana chinesa. O chá vinha da China, e por possuir colônia nessa região, Portugal tinha acesso ao produto.



Entretanto, há outras fontes que afirmam que a tradição se consolidou no século XIX, com a duquesa de Bedford que para enganar a fome, passou a tomar uma xícara de chá a tarde com um pequeno lanche, como sanduíches, biscoitos ou bolos. Esse fato, acabou se tornando um evento social, onde até a Rainha Vitória e suas damas de companhia incorporaram o hábito, se tornando rotina. Tomar chá, desde então, faz parte da cultura britânica, o Chá das Cinco ou Five O’clock Tea é bastante comum nas casas e cafeterias inglesas.

O chá é tão importante na Inglaterra, que assim como existe um sommelier de vinho, também existe um sommelier de chá, que é um profissional que conhece as variações da bebida (aroma e sabores), além de servi-lo da maneira correta. Um dos sabores mais consumidos é o chá preto com leite. Há também variações dos tipos de infusão, sendo que existe uma nomenclatura para cada quantidade de mistura, por exemplo, se colocar mais leite, ele será nomeado milky, se for com pouco leite, ele será chamado classic british.

Atualmente, o chá das cinco é considerado uma forma simbólica, não é necessário ser servido exatamente às cinco horas da tarde, apesar de ser a preferência nacional. A bebida, para os ingleses, pode ser servida a qualquer hora, assim como o café para os brasileiros.

Eloise G.F

Referências:

4 comentários

  1. Os homens sempre usando roupas mais confortáveis hahaha Amei o post! Achei muito válido para quem tem curiosidade sobre os costumes de antigamente, além de quem é apaixonada por romances de época, que exploram, em sua maioria, as vestimentas. Eu não achava que tinha toda essa imposição sobre como a dama deveria se vestir para ser "desejada", acho isso bem ridículo, apesar de que até mesmo em nosso século a mídia insiste em nos dizer como devemos nos vestir, nos portar, etc... Imagino o que se passava na mente das moças antigamente, em que as mães a obrigavam a usar tais coisas desconfortáveis e ainda estragarem a própria postura! Um absurdo, com toda certeza.
    Parabéns pelo post!
    Beeijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ruhh por estar acompanhando o blog <3 fico feliz que esteja gostando dos posts. Pois é, para os homens tudo era mais fácil, eu pesquisei muita coisa legal e fiquei impressionada com alguns fatos da época. Pena que não dá pra colocar tudo senão fica gigantesco, mas tentei sintetizar com aquilo que vejo nos romances para nós leitores visualizarmos. Realmente as mulheres usavam roupas muito desconfortáveis, tudo bem que há vestidos que são maravilhosos né, mas o que as pessoas faziam para chegar ao nível ideal de beleza era algo realmente assustador....entretanto como você mesma disse ainda vemos isso hoje em dia né, complicado hahaha.
      Beijoss!!!!

      Excluir
  2. Estou ando achando seu blog incrível! Encontrei pelo Instagram. Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Cris, seja bem-vinda! Fico muito feliz que esteja gostando!!!! <3

      Bjuss!!!

      Excluir

Topo