Resenha: O Príncipe dos Canalhas


O Príncipe dos Canalhas
Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
288 páginas

“Os opostos se atraem”, essa frase retrata bem O Príncipe dos Canalhas. De um lado temos o marquês de Dain, Sebastian Ballister, um ser bestial, tanto na aparência como em sua personalidade. Nunca teve sucesso com as mulheres, sempre usufruiu dos prazeres da vida pagando quantias altas às prostitutas. Teve um passado perturbador, rejeitado pelo pai, abandonado pela mãe e humilhado pelos colegas de escola. Entretanto, consegue superar isso, aprende a ganhar seu próprio dinheiro, consegue respeito dos seus colegas, se forma em uma famosa faculdade e ao assumir o título, quita todas as dívidas do pai. Ele se torna um homem que todos temem: grande, rude, conhecido como lorde Belzebu, visto como abominação pela sociedade e admirado entre os libertinos. Do outro lado temos Jessica Trent, uma mulher determinada a tirar seu irmão da má influência de Dain. Ela é  astuta e fora dos padrões da época, não se importa com que os outros pensam e é bastante independente. Conhecida como Femme Fatale, possui uma beleza estarrecedora, e já havia negado inúmeros pedidos de casamentos.



O primeiro encontro entre os dois despertou sentimentos e desejos que ambos não conseguiam admitir ou aceitar para si mesmos. Na verdade, o que ambos jamais poderiam imaginar é que o encontro e relação entre eles poderia causar tanto estardalhaço.
A sociedade fofocava e apostava, as pessoas de Paris aguardavam ansiosas pelo encontro do ser do submundo e a bela da sociedade respeitável. Dain é um homem orgulhoso, jamais cederia as vontades de Jessica, e quanto mais ela queria seu irmão afastado, mais ele o levava para perdição, entretanto, o lorde Belzebu subestimava a Srtª Trent, e ela consegue afetar ele como ninguém jamais fizera ou tivesse coragem de fazer, e isso o deixa louco e muito confuso. 
De qualquer maneira, hesitar numa situação como esta seria uma demonstração de dúvida ou, pior,  fraqueza. Fazer isso com um homem era perigoso. Fazer isso com uma mulher era fatal" -pg. 51 

É um romance repleto de intrigas, reviravoltas, mal-entendidos, com toques de humor e uma paixão intensa e ardente. Como fã de romances históricos e de época, não posso negar que estava extremamente ansiosa por este livro. A narrativa de Loretta Chase é bem agradável e divertida. Achei sua história bem diferente das outras do mesmo gênero que já li, e isso devido a construção de seus personagens e suas personalidades. Dain é um homem bem complicado, cabeça-oca, e tira conclusões muito precipitadas de tudo. E, Jessica, bom, determinação deveria ser seu segundo nome, porque aguentar o Dain não é nada fácil.


O que eu achei interessante nessa história, é que sempre que eu vejo um personagem difícil como Dain, penso como vai ser legal e divertido quando ele amolecer aquele coração sombrio, porém nessa história não é bem assim, o coração de Sebastian não é tão fácil de ser tocado, e não por ser uma má pessoa, mas por justamente ser sensível e emotivo. Ao longo de sua vida ele construiu um enorme muro ao seu redor, é extremamente difícil para ele acreditar que alguém um dia poderia vir amá-lo. As pessoas temiam ele e não o desejavam, desde seus oito anos de idade o que ele conhecia era rejeição, portanto se Jessica fosse mostrar algum tipo de afeição por ele, teria um grande trabalho pela frente. A relação desses dois personagens é um verdadeiro jogo de gato e rato, a conversa entre eles é recheada de farpas. O lorde Belzebu deixa claro que jamais será manipulado e controlado por uma mulher, porém o desejo que um tem pelo outro sempre fala mais alto.  Eu achei a obra mais divertida do que romântica em si. Loretta Chase construiu personagens autênticos e verossímeis e uma trama recheada de sedução, ironias e superação, não foi nada do que eu imaginava e achei isso ótimo, pois acabei me surpreendendo bastante com esse romance. Super recomendo! 
"No meu dicionário, romance não é um sentimento piegas e pegajoso [...] É algo picante, temperado com entusiasmo e uma boa dose de cinismo [...] Acho que daqui a algum tempo você se transformará num belo tempero picante, Dain. Com alguns Ajustes, claro"-pg 163.


Nota: O Príncipe dos Canalhas é o terceiro livro da série Scoundrels (Canalhas), porém não chega ser um sequência, portanto aqui no Brasil não está seguindo a ordem que foi lançada no exterior. A própria autora em seu site diz que não planejava criar uma série, porém ao desenvolver essas tramas ela foi inserindo personagens que eram familiares ou conhecidos no universo desses livros criando uma certa ligação, sendo personagens principais ou não, e tantas pessoas denominaram esses livros como a série Scoundrels que ficou sendo uma série desde então. <3



3 comentários

  1. Adorei a resenha♥
    Espero ler esse livro em breve, pois como você, muitos dizem que ele é um tanto diferente dos outros romances de época. Gosto quando há a mistura de romance e humor, penso que torna tudo mais leve.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim é mto divertido, espero que vc goste como eu, é uma leitura e tanta!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Topo