Resenha: O Oceano no Fim do Caminho


O Oceano no Fim do Caminho
Autor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
202 páginas

Foi há quarenta anos, mas ele podia lembrar de tudo como se fosse ontem. Ele estava na fazenda da Família Hempstock, mas deveria estar a caminho de um funeral, pois foi para isso que ele retornara. Todavia, estava parado diante daquele lago, ou como dizia sua amiga Lettie, diante daquele oceano. Aquele era o oceano de Lettie Hempstock, o homem se lembrava daquilo. E aos poucos, ele percebe que se lembra de tudo. 
          “-Não é um lago- corrigiu Lettie-é o meu oceano.”-pg.32



O romance é narrado em primeira pessoa pelo protagonista- cujo nome não é revelado-, um homem de meia-idade, que reflete e recorda sobre momentos estranhos que marcaram sua infância, memórias que julgava obscurecidas, mas que retornam no momento que entra na fazenda. Tudo começa aos seus sete anos de idade, ele era uma criança que amava ler,- inclusive, há várias referências de livros na história-, ele mora com seus pais e sua irmã. Naquele momento, sua família passava por dificuldades financeiras e decidiram alugar o quarto, que costumava ser dele. Porém, o homem que se hospedara em sua casa, um minerador de opala, rouba o carro da família e comete suicídio próximo a fazenda Hempstock.
O garoto, assim, acaba conhecendo Lettie e sua família (mãe e avó), que ele percebe que estão longe de ser uma família convencional. Infelizmente, sua vida acaba mudando totalmente após o inquilino cometer o suicídio, pois esse ato acaba por despertar forças misteriosas que acabam prejudicando a vida de todos da cidade e inclusive de sua família. A única pessoa que pode ajudá-lo é sua amiga que vive na fazenda no fim do caminho. Lettie não só o protege, mas revela pra ele um mundo novo e cheio de magia.
“E as lembranças desvanecem e se confundem, viram borrões...”-pg.58 

 É incrível como Neil Gaiman sempre me conduz pra minha criança interior. Suas histórias são emocionantes e ao mesmo tempo assustadoras, são lindas e ao mesmo tempo melancólicas. O autor começou a escrever o livro para a sua esposa, Amanda Palmer, e inicialmente este não seria um romance, mas sim um conto. Alguns dos acontecimentos do livro aconteceram na vida real do autor, durante sua infância.

“Os adultos também não se parecem com adultos por dentro. Por fora são grandes e desatenciosos e sempre sabem o que estão fazendo. Por dentro, eles se parecem com o que sempre foram. Com o que eram quando tinham sua idade.”- pg.130

Me emocionei muito com essa história e mergulhei também em meu oceano durante a leitura do romance. É um livro que remete a recordação nostálgica, e a leitura foi tão intensa e agradável que só quando acabei de ler, me dei conta que em nenhum momento em toda a história é mencionado o nome do protagonista. Uma história que retrata sobre amizade, nostalgia e superação. Que faz refletir e pensar em quem somos, nos faz olhar para o nosso interior, todo o caminho e batalha que enfrentamos para chegar no nosso eu de agora.
 “-Nada nunca é igual- respondeu ela- Seja um segundo mais tarde ou cem anos depois. Tudo está sempre se agitando e se resolvendo. E as pessoas mudam tanto quanto os oceanos.”-pg.185



G.F

3 comentários

  1. Neil Gaiman é um autor incrível. Suas obras são tão diferentes (pelo menos para mim) que me tiram da minha zoba de conforto. Ainda não li "Um Oceano No Meio do Caminho" mas já está na minha lista de desejados.


    https://colecionandohistoria.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Neil Gaiman é um autor incrível. Suas obras são tão diferentes (pelo menos para mim) que me tiram da minha zoba de conforto. Ainda não li "Um Oceano No Meio do Caminho" mas já está na minha lista de desejados.


    https://colecionandohistoria.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ele nos conduz a lugares incríveis, tabém amo as obras dele! Leia sim, irá amar!

      Excluir

Topo