[Quotes] Desventuras em Série - Parte II


Olá leitores queridos,
Segue a segunda parte das minhas citações e passagens favoritas dos livros de Desventuras em Série - confira a primeira parte AQUI!

A palavra "Beatrice" me lembra uma organização de voluntários que estava fervilhando de corrupção..." (O Hospital Hostil)



“Uma das coisas mais perturbadoras da vida é que aquilo que você quer ou deixa de querer não tem muito a ver com o que acontece ou deixa de acontecer.” ( O Espetáculo Carnívoro)

“Mas a triste verdade é que a verdade é triste, e que aquilo que você quer não importa. Desventuras em série podem acontecer a qualquer um, pouco importa o que queira ou deixe de querer [...]” (O Espetáculo Carnívoro)


“O destino é como um estranho e impopular restaurante, cheio de garçons esquisitos trazendo coisas que você nunca pediu e de que nem sempre gosta.” (O Escorregador de Gelo)

“Arriscar-se é como tomar banho, pode acabar com você se sentindo confortável e aquecido, mas pode ser que algo terrível esteja à espreita e você só descubra o que é quando não houver nada a fazer, a não ser berrar e agarrar-se a um patinho de borracha. ” (O Escorregador de Gelo)



"As pessoas não são vis nem nobres", disse o homem de mãos de gancho. "Elas são como as saladas do chefe, com coisas boas e ruins misturadas num molho vinagrete de confusão e conflito." (A Gruta Gorgônea)

“Já disseram que o mundo é uma lagoa calma, e que toda vez que alguém faz uma coisa, por mais ínfima que seja, é como se uma pedra caísse nessa lagoa e espalhasse círculos de ondulações cada vez mais distantes, até que o mundo inteiro ficasse alterado por uma minúscula ação. Se isso for verdade, então o livro que você está lendo agora poderia perfeitamente cair numa lagoa. As ondulações se espalhariam pela superfície da lagoa e o mundo mudaria para melhor, com uma história assustadora a menos para as pessoas lerem, e um segredo escondido a mais no fundo das águas, onde a maioria das pessoas jamais pensaria em procurar.” (O Penúltimo Perigo)

“O bem temporariamente derrotado é mais forte que o mal triunfante.” (O Penúltimo Perigo)


“Alguns dizem que devemos perdoar a todos, até mesmo pessoas que nos desapontaram incomensuravelmente. Outros dizem que não devemos perdoar ninguém, e devemos nos retirar ofendidos, batendo os pés, não importa quantas vezes peçam desculpas. Dessas duas filosofias, a segunda, é claro, é muito mais divertida, mas retirar-se ofendido batendo os pés a cada vez que alguém nos desaponta pode acabar se tornando exaustivo, pois todo mundo desaponta todo mundo ocasionalmente, e não é possível retirar-se ofendido batendo os pés em todos os minutos do dia.” (O Penúltimo Perigo)

“Quando alguém está queimando um livro, demonstra total desprezo por todos os pensamentos que produziram as suas idéias, todo o trabalho aplicado nas suas palavras e sentenças, e todos os contratempos que recaíram sobre o autor, desde a invasão dos cupins que tentaram destruir suas anotações até a enorme pedra que alguém fez rolar para cima do ilustrador enquanto ele estava sentado à beira do espelho d’água aguardando a entrega do original.” (O Penúltimo Perigo)

"Você está tentando nos enganar", disse Violet. "É claro que estou tentando enganá-los!", exclamou Olaf. "Assim é o mundo, jovens Baudelaire. Todos correm de um lado para outro, cada qual com seus segredos e esquemas, um tentando ser mais esperto que o outro. (O Fim)


**Sei que a passagem abaixo é um pouco grande mas não consegui deixá-la de fora, adoro esse trecho:
“[...] havia um grupo de pessoas conhecido como os cimérios. Era um povo nômade, o que significa que viajavam constantemente, e muitas vezes viajavam à noite, quando o sol não os deixava com queimaduras e quando as plataformas costeiras na área em que viviam não estavam inundadas. Como viajavam nas sombras, somente poucas pessoas chegaram a dar uma boa olhada nos cimérios; acreditava-se que eles eram furtivos e misteriosos, e até hoje as coisas feitas no escuro tendem a ter uma reputação um tanto sinistra. Um homem cavando um buraco no seu quintal durante a tarde, por exemplo, parece um jardineiro, mas um homem cavando um buraco à noite parece estar enterrando um segredo horrível; uma mulher que olha pela janela de dia parece estar apreciando a vista, mas fica parecendo muito mais uma espiã se aguardar até o anoitecer. O cavador noturno pode, na verdade, estar plantando uma árvore para fazer uma surpresa à sua sobrinha enquanto ela dá risadinhas para ele da janela; e a janeleira matinal pode, na verdade, estar planejando chantagear o assim chamado jardineiro enquanto ele enterra a prova dos seus crimes bárbaros; mas, graças aos cimérios, as trevas fazem até a mais inocente das atividades parecer suspeita.” (O Fim)

“Talvez se víssemos o que está à nossa frente, e tivéssemos um vislumbre dos crimes, desatinos e desventuras que acontecerão conosco mais adiante, ficaríamos no útero da nossa mãe, e então não haveria mais ninguém no mundo a não ser um grande número de mulheres muito gordas e muito irritadas. Qualquer que seja o caso, é assim que todas as nossas histórias começam, nas trevas com os olhos fechados, e todas as nossas histórias terminam também, com todos nós pronunciando nossas últimas palavras — ou talvez as de outro alguém” (O Fim)

“Às vezes, coisas que você perdeu podem ser encontradas novamente em lugares inesperados" (O Fim)

É isso leitores, espero que tenham gostado, se vocês também anotaram algum citação bacana dessa série maravilhosa, não deixe de compartilhar comigo!

Bjus açucarados!!!
Eloise G.F

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo